24
Mar
2019

A PINTURA DA NOSSA VIDA

Quando nasce uma criança em nossas famílias, logo, pensamos em batiza-la. O que isto significa? 
Dentro do clima de Natal, somos convidados a olhar e pensar na família. A Igreja coloca no domingo existente entre Natal e 1º do Ano a Festa da Sagrada Família de Nazaré. Deus, para vir a este mundo, escolheu viver em uma família. O menino Jesus precisou de uma família, que o acolhesse na condição humana, fraca e frágil. Precisou ser acolhido pelo amor de um coração materno e amparado pela presença solícita de um pai. Os tempos mudaram, mas o valor da família sempre será atual. A Sagrada Família nos é apresentada como exemplo e modelo para todas as famílias.

“Um célebre pintor, que tinha realizado vários trabalhos de grande beleza convenceu-se, certo dia, de que ainda faltava pintar sua obra prima. Procurando o motivo para realizar seu sonho, pôs-se a caminho e dirigia-se por uma poeirenta estrada, quando encontrou um sacerdote idoso que lhe perguntou para onde se dirigia.
- Não sei, respondeu o pintor, quero pintar a coisa mais bela do mundo. Talvez o senhor possa me orientar.
- É muito simples, disse o sacerdote. Em qualquer Igreja você achará o que procura. A FÉ é o que há de mais belo no mundo, pois onde há fé há esperança e alegria.
O pintor prosseguiu viagem. Mais tarde, passou por uma outra estrada e perguntou a uma jovem qual era a coisa mais bela do mundo.
- O AMOR, replicou ela, o amor torna tudo bonito, suaviza as lágrimas, torna rico os pobres, faz muito do pouco. Sem amor não há beleza.
Continuou ainda o pintor sua procura. Encontrando um soldado exausto, a ele também fez a mesma pergunta: qual é a coisa mais bela do mundo? O soldado respondeu:
- A PAZ é o que há de mais belo no mundo. A guerra é a mais feia. Quando encontrar a paz, pode ter certeza de que encontrou o que há de mais belo.
- FÉ, AMOR, PAZ! Como poderei pintá-las? 
- Pensou tristemente o artista e, bastante desanimado, tomou o rumo de casa.
Ao encontrar sua própria família, descobriu o que há de mais bela no mundo: nos olhos de seus filhos estava a fé; o amor brilhava no abraço afetuoso da esposa e ali habitava a paz.
Desta maneira, o pintor fez o quadro com o que há de mais belo no mundo. E, terminando, deu-lhe o seguinte nome: MINHA FAMÍLIA”. (Desconhecido)

O Evangelho (Lc 2,22-40) põe-nos diante da Sagrada Família de Nazaré apresentando Jesus no Templo de Jerusalém. A cena mostra uma família que escuta a Palavra de Deus, que procura concretizá-la na vida e que consagra a Deus a vida dos seus membros. Maria e José perceberam que quem escuta a Palavra de Deus, constrói a família sobre a rocha firme dos valores eternos. Por isso, realizam o que a Palavra de Deus manda, vão ao Templo e consagram o menino. São abençoados e constroem uma obra prima digna de ser contemplada: uma família de Deus. 
Em nossas famílias, quando pedimos o batismo, há a preocupação para a formação cristã dos filhos, ou seja, de ouvir, viver e ensinar a Palavra de Deus? 
Os nossos pais procuram transmitir aos filhos os valores do Evangelho, acompanhando a caminhada catequética, inserindo-os numa comunidade de fé, consagrando-os ao serviço de Deus e, sobretudo, dando testemunho de pessoa temente e obediente a Deus? 
COMO ESTÁ A PINTURA DA NOSSA VIDA?
Desejamos a todos um abençoado ano de 2018.    Texto de Dom José Mario Angonese. 

 E a pintura de nossa comunidade paroquial São Vicente Pallotti? Ano de 2017 – Jubilo e Gratidão. Ano de 2018 -  Entre algumas expectativas, que no amor exigente de nosso Bom Deus, vão necessitar de nosso sim. Visitas que nos provocam a uma alegre comunhão com nosso carisma palotino e participação na comunidade eclesial de Porto Alegre. Aos poucos, vamos oferecendo melhor as informações. Estamos elaborando o informativo paroquial, que em sua primeira edição vai contemplar os meses de janeiro a março de 2018. Se alguém quiser participar com algum conteúdo, receberemos até o dia 15 de janeiro. A todos, conclamo para que intensifiquemos nossas orações e o nosso Sim ao chamado de Deus e aos apelos dos irmãos e irmãs. UM ABENÇOADO ANO DE 2018. Na caridade de Cristo que nos impulsiona, abraço e prece. Pe. Jair Zemolin Giuliani, SAC.