PADROEIRO

19
Mai
2019

Vicente Pallotti nasceu no dia 21 de abril de 1795, em Roma, Itália, cidade onde morreu no dia 22 de janeiro de 1850. Foi ordenado Padre no dia 16 de maio de 1818, aos 23 anos. Devido à sua profunda vida espiritual, às suas múltiplas atividades apostólicas e à realização profética do seu apostolado, influiu de modo relevante na história da Igreja no século XIX. Foi teólogo e doutor em Filosofia.

Pallotti viveu num tempo em que foram impostos fundamentos do mundo moderno e de uma nova ordem sociopolítica. As ideias do iluminismo, com as turbulências do período napoleônico, o surgimento da questão operária, que culminou no "manifesto comunista", as tendências liberais, os movimentos nacionalistas na Europa e o desenvolvimento da imprensa são algumas vozes que caracterizaram o tempo de São Vicente Pallotti.

Pallotti confrontava-se com os problemas que dificultavam a vivência da fé e o crescimento das tarefas ligadas ao anúncio do Evangelho nas terras de missão. Diante de tais problemas que a Igreja devia afrontar, Pallotti voltava sua atenção para a necessidade urgente de "reavivar a fé e de reacender a caridade entre os católicos para anunciar a todos os homens a boa notícia da salvação."

No território da cidade de Roma, ele, com um grupo de colaboradores, desenvolveu uma notável célula de atividades apostólicas e ao mesmo tempo ocupou-se em unir e coordenar tais atividades. Deus suscitou em seu coração, no dia 09 de janeiro de 1835, a inspiração para fundar a União do Apostolado Católico (UAC), da qual participavam padres, irmãos, irmãs e leigos, com o objetivo de unir todas as iniciativas apostólicas.

Nos diversos escritos deixados por Pallotti, é possível perceber sua visão global da UAC na Igreja: levar a boa notícia a todos os homens de maneira ordenada e sistemática.

São Vicente Pallotti morreu no dia 22 de janeiro de 1850 sem ter visto o pleno desenvolvimento da sua obra. Seus colaboradores mais próximos continuaram sua missão, assegurando posterior desenvolvimento. Vicente Pallotti foi beatificado no dia 22 de janeiro de 1950 e canonizado no dia 20 de janeiro de 1963 em pleno Concílio Ecumênico Vaticano II. Hoje, a sua fundação está presente em todos os continentes e em mais de cinquenta países. Além disso, no dia 20 de janeiro de 2013 celebramos 50 anos da canonização com o lema: "Fazei resplandecer a santidade de Deus".